Glossário completo do tênis

Glossário do Tênis

Conheça todos os termos utilizados no tênis!

Ace: Saque indefensável

Ad: Curta vantagem na pontuação tradicional. É o primeiro ponto feito após os lados iguais.

American-twist: Efeito obtido no saque (a bola não tem grande velocidade mas adquire altura após quicar no solo).

Approach: Golpe com objetivo de aproximação da rede, para realizar o voleio.

Aquecimento: Troca de bola, para aquecimento dos jogadores. Em partidas oficiais, o aquecimento tem duração de 5 minutos.

Antivibrador: Acessório de borracha, onde segundo as regras da ITF (International Tennis Federation) deve ser colocado depois da última corda na horizontal (na base do encordoamento da raquete) que serve para reduzir a transmissão de vibração (causada no momento do impacto com a bola), das cordas para o braço do tenista.

Aro: parte de cima da raquete (cabeça) sem as cordas.

ATP: Sigla da associação masculina que controla o tênis profissional (Association of Tennis Professionals). A ATP é a responsável por organizar circuitos profissionais de tênis masculino, o ATP World Tour, ATP Challenger Tour e ATP Champions Tour. Com 61 torneios em 31 países, o ATP World Tour apresenta os melhores atletas masculinos competindo nos locais mais interessantes do mundo. Da Austrália para Europa e das Américas para a Ásia, as estrelas do ATP World Tour lutam por títulos de prestígio e pontos para o ranking mundial no ATP World Tour Masters 1000, 500 e 250, bem como nos Grand Slams (eventos não organizados pela ATP). No final da temporada, apenas os oito melhores do mundo em simples e as oito melhores duplas, com base no desempenho ao longo do ano, são qualificados para disputar o último título da temporada no ATP World Tour Finals. Realizada na The O2, em Londres, o evento coroa o número um no ranking. Site: www.ATPWorldTour.com

Australiana: Nome dado a uma formação tática no jogo de duplas, onde dois jogadores que têm a posse de do saque, começam o ponto quase no centro da quadra.

Bate-pronto: Qualquer golpe executado a poucos centímetros do chão, assim que a bola começa a subir.

Backcourt: Área entre a linha de saque e a linha de fundo.

Backhand: Golpe dado do lado contrário ao que se segura a raquete ( em inglês, backhand significa costas da mão, ou seja é o golpe em que o tenista mostra as costas da mão ao adversário). Conhecido também como “esquerda” ou “revés”.

Backswing: Amplitude de movimento, que vai desde abertura do braço para execução de um golpe de base até o momento do impacto da raquete com a bola.

Bicicleta: Nome popularmente dado a uma rebatida dada por cima do ombro, quando se corre das costas para a rede, na busca de uma bola lançada por cima pelo adversário / Termo criado no Brasil para designar uma derrota por duplo 6/0 (oriundo da gíria “pneu”, utilizada para a derrota por 6/0).

Boleiro: Também chamado de “pegador”, tem a função de ajudar os tenistas durante a partida, recolhendo e distribuindo as bolas aos jogadores.

Break ou quebra: Ganhar o game em que foi o adversário quem sacou (quebra de saque).

Break-point: Ponto que favorece o recebedor e, se vencido, conduzirá a quebra de saque.

Bumper Guard: Proteção plástica da cabeça da raquete. Pode ser trocada.

Butt Cap: Tampa do cabo da raquete, com logo do fabricante, na maioria das raquetes ele pode ser retirado para colocar chumbo dentro do cabo que é oco.

Bye: quando um jogador começa o torneio em uma fase a frente dos demais jogadores dentro da chave. Geralmente determinados por ranking.

Cabeça-de-chave: São os tenistas de mais alto ranking inscritos num campeonato. São designados cabeças para evitar que os melhores jogadores do torneio se encontrem nas primeiras rodadas.

Challenger: Categoria de torneio profissional masculino, com premiação que varia atualmente de US$ 35 a US$ 120 mil.

Chapado: Golpe dado na bola com pouco efeito.

Chave: Estrutura de um campeonato, feito por sorteio e que determina a ordem de todos os primeiros jogos e os adversários seguintes de cada vencedor.

Circuito: Série de torneios que se disputa sob o mesmo regulamento, padrão, classificação e sistema de pontos, geralmente com o objetivo de se apurar um campeão geral ao final da série.

Continental: Maneira de empunhar a raquete (maneira mais reta, jogador pode ter mais dificuldade de realizar efeitos na bola). Atualmente é mais usada pelos profissionais para os golpes: saque, smash, voleios e o efeito slice.

Copa Davis: Campeonato masculino por países, criado em 1900, e atualmente organizado pela Federação Internacional.

Corredor: Área entre a linha lateral de simples e a linha de duplas.

Cruzado: Um tiro no qual a bola viaja diagonalmente pela rede de um canto a outro.

Cushion Grip: Material que já vem na raquete. Pode ser produzido visando inúmeras prioridades como maior ou menor aderência, esferas de absorção de suor, desenhos diferenciados para ajudar em maior “tração” ou também o cushion tradicional, todo liso. Em geral, são de materiais sintéticos, mas ainda existem os cushion grips em couro.

Deuce: Palavra de origem francesa, que significa igualdade no placar de um game depois que ele atinge 40 a 40. No Brasil, utiliza–se “iguais”.

Devolução: Quando o jogador responde ao saque do adversário.

Drills: Utilizado para designar uma série de exercícios por repetição.

Drive: Qualquer golpe executado no fundo da quadra.

Drop shot: Mais conhecido como “curtinha” ou “deixadinha”, é um golpe dado com efeito underspin de forma tal que a bola quique o mais próximo à rede e o mais baixo possível.

Drop volley: “Deixadinha” dada com um voleio (sem deixar a bola quicar no chão).

Dupla-falta: Significa duplo erro no saque, o que dá o ponto ao adversário.

Eastern: Maneira de empunhar a raquete, a face da raquete e a palma da mão estão em um mesmo plano e não existe uma linha quebrada em seu pulso, ele está completamente reto. É muito usado até hoje para golpes de fundo, e no início do aprendizado dos voleios.

Empunhadura: Forma como se segura a raquete para executar golpes. São basicamente três: western, eastern e continental.

Erros não-forçados: Erros cometidos por um jogador em golpes considerados de fácil execução.

Esboço: Procedimento estabelecido para determinar a posição de cada jogador em um torneio.

Fed Cup: Nome dado ao campeonato feminino por países, abreviatura (Federation Cup).

Foot fault: Falta cometida com os pés durante a execução de saque (jogador pisa na linha antes de tocar na bola), conforme especifica a regra.

Forehand: É o golpe em que o tenista mostra a palma da mão ao adversário.

Future: Categoria de torneio profissional masculino, atualmente com premiação RS$ 10 ou R$ 15 mil.

Game: Parte da contagem do tênis. É a unidade que compõe o set. Cada game é disputado por, no mínimo, quatro pontos. Os lances vencidos têm pontuação progressiva de 15, 30, 40, game. Em caso de empate no 40-40, haverá necessidade de se ganhar dois pontos consecutivos para vencer o game.

Game-point: Ponto favorável ao sacador que, se vencido, permitira fechar o game.

Gauge: É a espessura da corda, que pode ser em mm ou na forma 15, 16, 17, 18, 19.

Grand Slam: Conjunto dos quatro torneios mais tradicionais do tênis, formado por Australian Open, Roland Garros, Wimbledon e US Open, supervisionado pela Federação Internacional de Tênis.

Grand Willy: Golpe em que se bate na bola entre as pernas, de costas para a rede, geralmente na defesa de um lob.

Grip: É o termo utilizado para definir a grossura do cabo da raquete (medida em polegadas) ou o material (de couro ou sintético) que reveste o cabo da raquete.

Grommets: é toda a parte plástica que envolve a raquete e por onde passam as cordas no momento do encordoamento. Pode ser trocado.

Ground stroke: Nome dado a qualquer golpe executado no fundo de quadra.

Hawk-eye: Sistema, eletrônico, baseado em computação gráfica em 3D, que procura identificar a trajetória de todos os golpes de uma partida para possibilitar a checagem de bolas duvidosas.

“Iguais”: Termo utilizado no Brasil que significa igualdade no placar de um game depois que ele atinge 40 a 40.

ITF: Federação Internacional de Tênis (International Tennis Federation).

Indoor: Termo utilizado para definir quando a quadra é coberta (fechada).

Jogo de fundo: Um estilo de jogo em que o tenista fica próximo à linha de fundo quase todo o jogo.

Jogo de rede: Um estilo de jogo em que o tenista joga junto à rede, voleando a maior parte das bolas.

Juiz de linha: Um dos juízes do jogo, cuja responsabilidade é decidir se as bolas foram dentro ou fora das linhas laterais, do saque e do fundo.

Juiz de cadeira: É o principal juiz de quadra em uma partida profissional, responsável pela decisão.

Juiz de rede: É aquele que fica sentado junto ao poste lateral da rede, com o objetivo de anunciar os lets (quando o saque raspa na rede, entra ou deve ser repetido).

Lados Iguais: A quadra da direita, assim chamada porque o ponto de lados iguais é jogado naquele lado.

Lead Tape: Chumbo, normalmente em fita adesiva, utilizado para customizar a raquete.

Leather Grip: Cushion de couro que vem originalmente em algumas raquetes. Também são vendidos separadamente para quem gosta de utilizá-los melhorando a pegada, mas diminuindo o conforto.

Let: Utilizada para pedir a repetição de um ponto, quando o jogador esta despreparado ou ocorreu alguma interferência externa na partida. Utilizado também para indicar que a bola resvalou na fita durante um saque.

Linha de base: Linha que delimita o fundo da quadra.

Lob: Golpe dado sobre o adversário, quando ele esta próximo da rede.

Love: Um score de zero.

Lucky loser: Tenista eliminado na etapa qualificatória, mas que ganha o direito de entrar na chave principal pela desistência de algum competidor.

“Madeirada”: Indica uma rebatida em que a bola toca, desvia ou é impulsionada involuntariamente pelo aro da raquete.

Masters: Tem dois significados: Nos torneios disputados em forma de circuito, é o nome dado à ultima etapa em que são convocados os melhores classificados das etapas anteriores. Termo também utilizado para falar de um torneio que fecha uma temporada, com a presença limitada dos melhores do ranking.

Master Series: Série dos nove maiores torneios organizados pela Associação masculina (ATP ). O termo atual, introduzido em 2009, é “Master 1000”.

Mata–burro: Termo popular para designar a região da quadra (que fica entre a linha de fundo e a linha de saque) onde o jogador ficará mais vulnerável, caso se posicione ali para responder o golpe do adversário.

Match-point: Ponto que permite encerrar a partida; ou ponto que finaliza um jogo.

Net: Expressão utilizada para indicar que o saque resvalou na fita. Caso a bola toque a fita e caia no quadrado correto de saque, haverá um “let”, ou seja, o saque será repetido.

No-ad: Significa “sem vantagem”. Utilizado nas partidas de duplas, em que se inclui a necessidade de dois pontos de diferença para vencer o game. Quando chegar no 40-40, o recebedor escolhe o lado que quer devolver. O ponto a ser jogado define o vencedor do game.

Out: Quando a bola é lançada fora das marcas válidas da quadra ou da área de saque.

Overgrip: Acessório feito de material absorvente e emborrachado para ser colocado por cima da empunhadura original da raquete, com objetivo de proporcionar uma pegada mais firme e mais confortável.

Overhead: Golpe dado por sobre a cabeça, parecido com o “smash”.

Over-rule: A critério do árbitro de cadeira de mudar a marcação dada por um juiz de linha.

Pallets: Peças plásticas da Head que aumentam/diminuem o grip da raquete, sistema utilizado apenas pela Head e pela Volkl.

Paralela: Uma bola rebatida paralela e junto à linha lateral da quadra.

Passada: Jogada que faz a bola ultrapassar, pelos lados ou pelo alto, um adversário que se encontre próximo à rede.

Pneu: Expressão criada no Brasil para designar uma derrota por 6/0.

Quadra de grama: Superfície que deu origem ao tênis. Pode ser natural ou sintética. Faz a bola quicar baixo e deslizar.

Quadra de har–thru: Feita com pó de cimento, quase em desuso. É pouco mais veloz que o saibro.

Quadra sintética: Feita de resina asfáltica, também chamada de quadra dura ou quadra de cimento. Pode ser muito rápida ou muito lenta, dependendo da última camada de resina que se coloca.

Qualifying: O mesmo que qualificatório. Diz–se de uma competição preliminar, realizada com o objetivo de selecionar jogadores para o torneio principal.

Quebrar o serviço: Vencer o game quando o adversário está sacando.

Rally: Longa troca de bolas.

Ranking: Qualquer sistema matemático que pretenda classificar jogadores ou equipes.

Saque ou serviço: Golpe que inicia o game. Deve ser dado atrás da linha da base, em sentido diagonal ao oponente, com a bola sendo lançada em qualquer direção ou altura. A bola deve atingir o quadrado diagonal correspondente.

Set: Parte da contagem do tênis. A série termina quando um dos tenistas atingir 6 games, desde que haja 2 games de diferença.

Set longo: Aquele que termina em 06 games, e em caso de empate, termina quando um dos tenistas tiver vantagem de 2 games.

Set point: Ponto que encerra o set.

Set profissional: Um set que termina quando um dos jogadores vence 09 games. Se a contagem estiver empatada em 8 a 8, é disputada um tie-break. Este tipo de contagem foi criado para que o torneio, interrompido por motivo de chuva, possa terminar numa data prevista.

Sidespin: Efeito dado na lateral da bola, provocando uma parábola na sua trajetória.

Slice: Nome dado ao efeito que faz a bola girar em sentido contrário ou lateral.

Smash: Golpe dado por sobre a cabeça, de cima para baixo. Também conhecida por cortada.

Stiffness: Rigidez da raquete, medida em RA, quanto mais rígida, mais potente, mas mais prejudicial ao braço/cotovelo.

String Pattern: Existem vários padrões de cordas– 14×18, 16×18, 16×19, 18×20, 16×20. Quanto mais aberto, melhor o spin e maior a potência; quanto mais fechado, melhor o controle.

SweetSpot: Também conhecido como “ponto doce” de uma raquete, é a área central das cordas. Jogadores recreacionais devem jogar com raquetes de preferência com grande Sweet Spot.

Swing–volley: Golpe de fundo dado sem que a bola quique no chão.

Swingweight: Peso dinâmico da raquete. Quanto maior este número, maior a dificuldade de completar o swing com ela, mas maior a potência, se a raquete for corretamente utilizada.

T: Termo usado para indicar o local da quadra que fica próximo às linhas que formam as áreas de saque.

Tennis–elbow: Habitual, dolorosa e perigosa contusão que atinge o cotovelo de tenistas, provocada pela inflamação do tendão.

Terminação ou Follow through: É o movimento que o braço que segura a raquete descreve após o contato com a bola.

Tie–break: Série de pontos disputados para decidir o vencedor de um set no qual os jogadores estão empatados em seis jogos. O primeiro jogador que consegue ganhar sete pontos, mantendo uma vantagem de dois, pelo menos, sobre seu adversário, ganha o tie break e conseqüentemente o set.

Time: Termo usado pelo juiz de cadeira para indicar que o tempo de descanso dos jogadores acabou.

Tirar o peso: Termo que se refere à tática de rebater uma bola com menor aceleração da raquete, para quebrar o ritmo do adversário.

Topspin: Efeito dado sobre a bola, o que a faz quicar mais alto após tocar o chão.

Top Ten: Termo usado para designar os 10 melhores de um ranking.

Tourna grip: É uma variação de overgrip.

Tripa: produto de origem animal (geralmente carneiros ou leitões) às vezes usado para encordoar raquetes. Atualmente usam-se, cada vez mais, tripas sintéticas que possuem as mesmas características

Underspin: Efeito dado por baixo da bola, o que a faz quicar mais baixo ao tocar o chão.

Vantagem: Ponto que desempata o placar de igualdade (40 a 40 ou deuce).

Voleio: Golpe dado sem que a bola quique no chão, geralmente junto à rede ou em progressão a ela.

Voleio curto: Um voleio executado suavemente que cai bem junto à rede no campo adversário.

Voleio defensivo: Golpe de voleio realizado abaixo da altura da rede; também chamado de voleio baixo.

Voleio lob: Um voleio que é direcionado para encobrir o adversário que está na rede.

Voleio ofensivo: Um voleio realizado acima da altura da rede.

Western: Maneira de empunhar a raquete, surgida no oeste (west) dos EUA, onde a maioria das quadras construídas era de piso asfáltico.Desta maneira, as bolas quicavam mais alto (do que nas quadras de saibro e grama), e os tenistas foram achando mais confortável empunhar a raquete desta maneira no momento do impacto, para receber uma bola vindo pelo lado dominante do jogador.

Wild card: Convite feito a qualquer jogador para que ele participe de um torneio.

Winner: Ponto vencedor. Bola lançada em local indefensável para o adversário. O winner pode ser dado num saque, voleio, deixadinha, passada ou golpe de fundo de quadra.

WTA: A WTA é a líder mundial no tênis profissional feminino com mais de 2.500 jogadores representando 92 nações e competindo por mais de US$ 100 milhões em prêmios nos 54 eventos e quatro Grand Slams em 33 países. A temporada de competições da WTA termina com o WTA Championship de Istambul, Turquia, e o Torneio das Campeãs, em Sofia, Bulgária. Site: www.wtatennis.com, facebook.com/WTA e twitter.com/WTA.

Zigzira: Nome popularmente dado a um efeito pouco comum e de extrema habilidade, em que a bola é golpeada com underspin tão forte que, ao quicar no chão, volta para o lado do jogador que a golpeou.

3 comentários

  1. buenas acabo de enterarme de tu webblog y la verdad es que me parece genial no sabia de mas personas interesadas en estos temas, aqui tienes un nuevo lector que seguira visitandote semanalmente.

  2. Hélio Fernandes Garcia disse:

    Assim como zero é “love” e igualdade de 40 pontos é “deuce”, como se expressa internacionalmente quando 15 iguais ou 30 iguais?

  3. JogandoTênis disse:

    Olá Hélio,
    A contagem em inglês é a seguinte:
    0 = Love
    15 iguais ou 30 iguais = 15 all e 30 all
    Vantagem = Deuce

    Espero ter ajudado!

Deixe seu comentário

*

Customizado por Dale! marketing digital